MENU
Calendário FAEPA
    NOVEMBRO
    2017
    D S T Q Q S S
    1 2 3 4
    5 6 7 8 9 10 11
    12 13 14 15 16 17 18
    19 20 21 22 23 24 25
    26 27 28 29 30
     
INTRANET

Acesse aqui nossa intranet:

BOLETINS

Cadastre-se e receba as novidades por e-mail:

Email:
SENAR TRANSPARÊNCIA

Maria Silvia Digiovani

8/11/2010


Conseleite x Cepea

Maria Silvia Digiovani

Valores de referência Conseleite x Preços Cepea :mitos e verdade

 

Nesses oito anos em que o Conseleite Paraná está em campo desempenhando seu papel de tornar mais transparente a comercialização de leite entre produtores e indústrias, algumas vezes tem sido  alvo de críticas, sempre bem vindas, porque se transformam em oportunidades de esclarecimento.

 

Preços líquidos x Preços brutos

Um questionamento que volta e meia aparece é sobre diferenças de valores do preço do leite ao produtor divulgados pelo Conseleite e pelo Cepea.

Primeiramente queremos ressaltar que as diferenças não são tão significativas se, comparados os preços numa mesma grandeza, ou líquidos ou brutos e num mesmo período.

Em segundo lugar destacamos que os valores Conseleite referem-se ao leite posto propriedade, ou seja, do valor divulgado não se desconta nenhum valor de frete.

Já o Cepea, embora divulgue preços brutos e líquidos, na tabela de série histórica, geralmente utilizada para produção e divulgação de gráficos, são mostrados  apenas os preços brutos, portanto estes  são os mais conhecidos e comentados e trazem embutidos os valores de frete.

Pela metodologia Conseleite, o frete é considerado resultado da distância da produção à indústria, volume e preço do leite (Sbrissa). Para se calcular o valor do frete, atualmente considerado custo industrial, multiplica-se 6,03% pelo preço de referência do leite padrão (PRLP) do mês.

O gráfico a seguir mostra o comportamento de preços Cepea referentes ao mês de captação e os valores referência Conseleite.

Apenas como um exercício, para comparar valores numa mesma grandeza, descontamos  o valor de frete considerado pelo Conseleite, do preço bruto divulgado pelo CEPEA. (preço bruto Cepea - 6,03% do valor referência do leite padrão em cada mês)

 

engenheira agrônoma

Maria Silvia Digiovani

DTE-FAEP 

 

Os preços Cepea, tanto bruto quanto líquido, mantém estreita correlação com os valores Conseleite, porém quando se desconta um valor de frete, a curva do Cepea se aproxima muito mais da faixa entre o valor referência e o maior valor de referência, que é onde se situam os preços recebidos por grande parte dos produtores .

Isso reforça nosso entendimento de que o principal fator para que haja alguma diferença de preço é a consideração  ou não do frete

 

Conseleite (tendência) x Cepea (preço passado)

Outro aspecto que justifica alguma diferença de valores e que fica evidente no gráfico, é que .o Conseleite , além do  valor referência do mês anterior, divulga valores referência para o mês em curso, ou seja a tendência para os preços do mês, enquanto  o Cepea divulga valores já praticados.

Por exemplo, os preços divulgados pelo Cepea no mês de julho  referem-se aos valores recebidos pelos produtores  em junho  pelo leite entregue em maio.

Já o Consleite, além de divulgar em julho o valor referência do leite captado em junho, divulga também a projeção para julho.

Dá para concluir que o Conseleite sai na frente, indicando  a tendência e que esta é comprovada mês a mês com a divulgação dos valores  posteriormente pagos, captados pelo Cepea

O Conseleite é um instrumento de tomada de decisão gerencial para negociação de preços.

 

O Valor referência do Conseleite traduz  a capacidade de pagamento das indústrias participantes, baseada no resultado das vendas dos produtos no atacado e na participação da matéria prima em cada produto. 

Tomando o exemplo do leite longa vida:pela metodologia do Conseleite, a participação da matéria prima neste produto é de 42,32%, ou seja, esta é a parcela que o custo da matéria prima representa  no  custo total de fabricação do produto, até sua colocação no atacado.

Então ,supondo que a média de preços desse produto no atacado em determinado mês foi R$1,70/litro, uma empresa que produza apenas leite longa vida, poderá pagar a seus produtores fornecedores nesse mês R$0,719/litro(R$ 1,70 x 42,32%).

Essa metodologia é aplicada para cada um dos 14 produtos acompanhados(leites fluídos, queijos, manteiga, leite em pó,etc)e cada empresa tem sua capacidade de pagamento de acordo com seu mix.

Empresas  que comercializem  mix diferentes de produtos têm diferentes capacidades de pagamento, por isso os valores divulgados pelo Conseleite são referência, fornecedores e indústrias podem negociar preços de acordo com realidades específicas.

A cada reunião mensal do Conseleite, sempre na terça feira mais próxima do dia 15, é feita a projeção da capacidade de pagamento das empresas, ou seja,  valores a serem pagos ao produtor para o mês em curso com base na comercialização dos produtos no atracado durante o primeiro decêndio do mês. Ao mesmo tempo faz-se o fechamento da previsão do mês anterior com base na comercialização dos últimos 20 dias daquele mês.

Assim são dois os produtos divulgados nas resoluções conseleite: o valor referência do mês anterior e a projeção para o mês em curso.

Já o CEPEA divulga pesquisa de preços recebidos pelo produtor, ou seja, refere-se a dados  passados

Porém, todos sabemos que o mercado é regido pela oferta e demanda e o Conseleite, é claro, está inserido nas leis de mercado.

Em épocas de escassez e portanto de  grande disputa pelo leite, os preços praticados pelas indústrias participantes do  Conseleite podem se situar acima dos valores de referência. Nessas situações  as empresas  dispõem-se  a  pagar preços mais remuneradores, para não correrem  o risco de ficar sem matéria prima.

Portanto, os valores Conseleite não representam preços máximos nem mínimos, são apenas referências que  norteiam as negociações, tendo se transformado  no melhor indicativo em uso  para a formação de preço. De acordo com volume , qualidade e localização geográfica, muitos produtores negociam seus preços com base no maior valor de referência  acrescido de uma porcentagem negociada

 

Benefícios aos produtores

Mas, diferenças ou semelhanças á parte, o grande mérito do Conseleite, sem dúvida foi que os produtores, principalmente os menores, passaram a  ter uma melhor remuneração pelo seu produto.

Quando se compara os  valores Conseleite e os preços recebidos pelos produtores captados pela Secretaria da Agricultura do Estado do Paraná.(SEAB), percebe-se nitidamente que   ao início da vigência do Conseleite,  quando ainda eram poucos os produtores a usarem os dados  divulgados como base para as negociações, os preços recebidos situavam-se entre o menor valor de referência e o valor de referência do leite padrão.

Conforme o Conseleite foi sendo mais conhecido, a curva de preços recebidos pelos produtores deslocou-se e se colocou entre o valor de referência e o maior valor de referência.

Isto é uma constatação dos benefícios que o Conseleite trouxe aos produtores.

Há 8 anos as negociações de leite no Paraná são baseadas no Conseleite, sinal da confiança que produtores e indústrias depositam na metodologia.

O exemplo do Paraná foi seguido por Santa Catarina , Rio Grande do Sul e mais recentemente pelo Mato Grosso do Sul, demonstrando a capacidade de organização dos produtores e indústrias  desses estados. Despertou interesse também de produtores e indústrias da Argentina, da província de Entre Rios, que estudam a implantação do 1º Conseleite argentino.

Quantos mais "Conseleites "surgirem maior será a transparência na formação dos preços ao produtor. Seria muito bom que  os demais estados seguissem  o exemplo e instituíssem  os seus, ou talvez desenvolvessem  uma metodologia  mais evoluída ,a qual seria prontamente seguida pelo Parana´.

Sabemos que o Conseleite é do interesse de todos os produtores, mas  a experiência mostra que onde poucas empresas dominam o mercado o Conseleite não vinga, não obstante o interesse do setor produtivo.

Um "Conseleite" ou outra metodologia capaz de garantir ou aprimorar a transparência na comercialização é a única forma de  substituir o "perde-ganha" pelo "ganha -ganha", que é o resultado perseguido por produtores e indústrias comprometidos entre si, que entenderam que não existe produtor fraco com indústria forte, nem produtor forte com indústria fraca.

Voltar     

Trav. Dr. Moraes, n°21 - Edificio Palácio da Agricultura, 8° andar - Belém - PA - CEP:66035 - 080 - Fone (91) 4008 5300 - Fax (91) 4008 5378. Horário de Funcionamento: Manhã: 09:00 às 12:30 e Tarde: 14:00 às 18:30